Carta dos desenvolvedores - Foco nos consoles para 2020

E aí, sobreviventes?

Faz pouquinho mais de dois anos que introduzimos o PUBG aos consoles, começando pela prévia do jogo para Xbox. Desde então, lançamos a versão 1.0 do jogo para Xbox e PS4, introduzimos as Partidas Interplataformas em outubro do ano passado e, com a Atualização 6.2, agora em fevereiro adicionamos os Grupos Interplataformas, para os jogadores de Xbox e PS4 poderem se unir e levar juntos a vitória para casa.

A gente enfrentou muitos desafios ao longo do caminho, e ainda faltam muitos outros para encarar e superar. Pensando nisso, queremos dar uma palinha do que temos em mente para o PUBG nos consoles em 2020:

  • Melhorar o controle de qualidade para garantir a estabilidade ininterrupta do desempenho;
  • Reduzir ainda mais as diferenças de conteúdo entre as versões para PC e console;
  • Fazer ajustes para adequar o jogo ao ambiente específico dos consoles;
  • Melhorar a detecção de trapaças e a defesa contra ataques de DDoS (negação de serviço distribuída);
  • Oferecer formas novas e mais eficazes de comunicação com os jogadores.

Desempenho

Em 2019, nosso objetivo era solucionar problemas fundamentais de desempenho da versão para console do PUBG.

Resolver problemas de renderização e de redução da taxa de quadros média foi nossa maior prioridade. A renderização, em particular, era um problemão, já que fazia com que os jogadores vissem construções com aspecto de “massinha” durante o pouso, que podiam levar muito tempo para terminar de carregar.

Embora a gente já tenha melhorado muito esses problemas de desempenho, ainda existem outros para resolver. Atualmente, por exemplo, tem havido problemas de travamento. Nós disponibilizamos atualizações e conteúdo novo todos os meses desde o lançamento, exigindo cada vez mais espaço do sistema. Existe um limite de memória que pode ser processada. O problema é que o conteúdo adicional também entra nessa conta, o que acaba diminuindo a quantidade de memória não utilizada. Em alguns casos, isso tem levado o jogo a travar. Estamos buscando otimizar a utilização de memória para corrigir esse problema. Daqui em diante, nossa meta será investir no controle de qualidade para garantir que todo conteúdo novo adicionado ao jogo seja completamente otimizado, de modo a evitar problemas críticos e melhorar o serviço do jogo.

Engasgos são outro problema que vem assolando nosso jogo, sobretudo nos últimos tempos. A Atualização 7.1 trará correções para os engasgos causados por dois motivos: 1) o carregamento de determinados visuais; e 2) as conquistas. Infelizmente, isso não resolve todos os casos de engasgo, mas nossos engenheiros estão trabalhando a todo vapor para otimizar várias áreas do jogo e reduzi-los como um todo. Além disso, recentemente também demos uma reestruturada nos departamentos de engenharia para dedicar uma equipe inteira à resolução desses problemas.

Por fim, sabemos que nossos jogadores querem que a taxa de quadros permaneça estável, não importa o dispositivo em que estejam jogando. Mas sabemos que há também quem prefira uma incrementada na qualidade dos gráficos. Queremos equilibrar a taxa de quadros e a qualidade gráfica, mas é claro que, acima de tudo, é imprescindível manter a estabilidade da imagem. Por isso, vamos dar um trato no recurso de resolução dinâmica para melhorar tanto a resolução quanto a taxa de quadros. Também vemos muita gente pedindo para aumentarmos o limite da taxa para 60 quadros por segundo. Ainda que a gente esteja buscando maneiras de implementar isso, há alguns desafios pela frente. Vamos atualizar vocês assim que fizermos avanço concreto a respeito disso.

Diferenças de conteúdo entre PC e consoles

Embora a gente já tenha reduzido o intervalo de tempo entre as atualizações de conteúdo para PC e console para, estourando, duas semanas, ainda existem alguns recursos de que a comunidade dos consoles só ouve falar.

Primeiro, vamos começar nos empenhando para tornar as partidas personalizadas uma experiência mais completa, a começar pela introdução de novos modos, como o tão esperado Modo Esports, que adicionamos agora em março. Também temos noção de que já faz muito tempo que a comunidade pede mais opções de customização para partidas personalizadas. Os jogadores poderão definir a taxa de geração, o dano e outras opções detalhadas — porém, ainda estamos analisando como isso afetará o desempenho, já que armas e veículos demais podem causar problemas de estabilidade.

Também queremos adicionar um Modo de Observador geral para dar uma força aos campeonatos locais, mas isso ainda vai levar algum tempo para desenvolver. Fazer todos os recursos carregarem enquanto a câmera se move em alta velocidade é um dos desafios que precisamos contornar. 

Para fechar, o PUBG Labs estará disponível para os consoles ainda em 2020. Vamos garantir que os jogadores de PS4 e Xbox não fiquem de fora do conteúdo do Labs, onde terão a experiência em primeira mão de alguns novos recursos.

Ajustes específicos para os consoles

Estamos sempre recebendo comentários sobre problemas de desequilíbrio entre veículos e armas, e, muitas vezes, eles se aplicam especificamente aos consoles.

No que diz respeito aos veículos, parte dos ajustes que já implementamos nos consoles foi fazer com que balas atravessassem veículos de metal fino. Também planejamos reduzir o dano de colisão recebido em veículos, já que, em alguns casos, o dano sofrido pelos jogadores é bem desproporcional à força do impacto. Além disso, estamos estudando a possibilidade de ajustar os pontos de vida e a velocidade dos veículos nos consoles, uma vez que é muito mais difícil acertar tiros em movimento jogando no PS4 e no Xbox do que no PC. 

Quanto às armas, sabemos que alguns dos nossos jogadores consideram certas armas bem mais apelonas que outras. Porém, no momento, existe um único multiplicador universal aplicado ao coice de todas elas, e o coice no console é basicamente metade do que é no PC. Para fazer ajustes individuais às armas, precisamos poder dividir os dados delas entre consoles e PC. Acontece que, para deixar nossas armas o mais realistas possível, existe muito código vinculado aos dados delas, então a divisão deles deve ser feita com muito cuidado.

Vamos trazer mais atualizações sobre os veículos e as armas nos consoles ao longo do ano.

Nesse meio-tempo, ouvimos o feedback de vocês sobre a força exagerada da M249 e decidimos aumentar em 50% o coice dela. Essa mudança será introduzida na Atualização 7.1 dos consoles. Sabemos que existem jogadores que querem a M249 de volta nos pacotes de apoio, e a equipe de desenvolvimento está estudando essa opção junto a outros ajustes de balanceamento. Não deixem de opinar sobre a alteração no coice, porque a gente sempre leva o feedback de vocês em consideração nas nossas discussões internas.

Defesa contra trapaças e DDoS

No que diz respeito ao combate a trapaças, muitos dos jogadores de console vêm pedindo que a equipe de desenvolvimento adote medidas mais rigorosas. A prevenção contra trapaças é uma área bem complexa e que muda o tempo todo, precisando ser constantemente atualizada e aprimorada. Nós temos usado registros e o sistema de detecção implementado no jogo para banir infratores. Todos os dias banimos usuários com base em registros suspeitos, como vários abates em um curto período de tempo, e na investigação dos tickets enviados pela comunidade. Nosso sistema de detecção analisa as ações do jogador e verifica se há algum comportamento suspeito, como movimentos e disparos difíceis de realizar usando um controle.

Só que sabemos que ainda tem vários vacilões à solta por aí e planejamos implementar novos processos para diversificar as formas como podemos detectar o pessoal mal-intencionado.

Existem também alguns recursos contra trapaças no PC que a comunidade quer que levemos aos consoles. Novamente, essa é uma área complicada, já que precisamos garantir a compatibilidade com o ambiente do console, mas, enquanto isso, vamos nos concentrar na pesquisa e no desenvolvimento de medidas contra trapaças específicas para os consoles.

Um tipo de trapaça que vem assolando a comunidade é o hack de radar (também conhecida como trapaça por transferência de pacotes), e a gente sabe a frustração que isso causa. Não estamos levando a situação na brincadeira e já testamos muitas soluções diferentes para acabar com esse problema. Não queremos divulgar informações sigilosas que possam ser exploradas pelos trapaceiros, mas, resumindo, a ideia é encontrar uma solução de criptografia de pacotes que seja compatível com todas as plataformas de console que a gente usa. Apostar na solução errada pode causar falhas e comprometer a estabilidade do jogo. Considerando o quanto já avançamos nas pesquisas, devemos conseguir implementar uma solução, na melhor das hipóteses, no segundo trimestre de 2020.

Outra área em que concentramos esforços nos últimos meses foram os ataques de DDoS (negação de serviço distribuída). Muitos jogos online são obrigados a lidar com ataques de DDoS de tempos em tempos, e nossos servidores não são exceção. Quando um servidor de jogo vira alvo desses ataques, praticamente todos os jogadores conectados enfrentam problemas de conexão, como atrasos na rede, aumento expressivo de latência e graves perdas de pacotes. Infelizmente, nossos servidores sofrem cada vez mais esse tipo de ataque. Em novembro do ano passado, a intensidade dos ataques chegou a um nível inédito, que aumentou novamente agora em fevereiro.

A equipe de desenvolvimento vem aumentando as soluções de defesa contra ataques de DDoS, testando e analisando a eficácia de vários provedores de infraestrutura para proteger nossos servidores de jogo e garantir mais estabilidade ao serviço. Ao mesmo tempo, estamos trabalhando no nosso próprio sistema de defesa, desenvolvido especificamente para proteger os servidores de jogo do PUBG.

As soluções de defesa contra DDoS dos provedores de infraestrutura externos usavam servidores que geralmente ficavam bem longe dos locais de costume, resultando num aumento da latência e em outros problemas de rede para alguns jogadores. Além disso, muitos jogadores sofreram problemas constantes de perda de pacotes devido às soluções experimentais de defesa contra DDoS usadas por esses provedores. Sabemos que podíamos ter sido bem mais abertos na comunicação desse assunto com vocês, mas nós não queríamos interferir com os testes e os resultados informando aos invasores sobre a existência deles. Seja como for, pedimos sinceras desculpas aos jogadores que sofreram com problemas contínuos de conectividade durante esse período.

A notícia boa é que a solução interna que desenvolvemos recentemente reduziu o impacto dos ataques de DDoS em quase 85%. Eles são e vão continuar sendo um problema, mas nossa equipe de desenvolvimento também continuará elaborando e implementando novas medidas para mitigar o impacto desses ataques quando eles ocorrerem.

Ataques de DDoS são um crime grave, e estamos reunindo todas as informações possíveis para tomar medidas legais contra os autores.

Comunicação

Em 2020, uma das maiores prioridades da equipe de desenvolvimento é encontrar maneiras de melhorar a comunicação com os jogadores. Queremos seguir uma filosofia de “desenvolvimento aberto”, dando à comunidade uma noção mais detalhada do trabalho da equipe, além de explicar melhor as intenções do nosso trabalho no jogo. Isso inclui não apenas atualizações frequentes quanto ao progresso dos recursos e melhorias para consoles, mas também mais transparência e agilidade nos comunicados sobre a resolução de problemas pendentes no serviço.

Vocês verão essas mudanças serem implementadas nos próximos meses, e esperamos que, de pouquinho em pouquinho, elas estreitem os laços entre a comunidade e os desenvolvedores.

Queremos encerrar com uma mensagem de agradecimento a vocês, nossa comunidade. Esperamos que, durante tempos de incerteza, vocês e todos os seus entes queridos estejam se mantendo seguros e saudáveis. É com humildade que oferecemos um espaço onde nossos jogadores possam encontrar diversão e refúgio para manterem-se unidos, e de uma distância segura. Estamos trabalhando muito este ano para tornar a experiência do PUBG nos consoles a melhor possível e somos gratos por ter uma comunidade tão dedicada ao nosso jogo.

Como sempre, agradecemos o apoio de todos. A gente se vê nos campos de batalha!

KooSung Jeong, produtor para consoles

Joon H. Choi, líder da gerência de projetos para consoles

Discuta este artigo
Compartilhar este artigo